1
MODELO DE BULA

Clindoxyl® Gel
clindamicina 1%
peróxido de benzoíla 5%

USO EXTERNO

Uso adulto e em pacientes acima de 12 anos

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
STIEFEL
Apresentação:
Clindoxyl® gel é apresentado em bisnagas com 30 g.
Composição:
Cada grama de Clindoxyl® gel contém:
clindamicina (na forma de fosfato de clindamicina) ……………………………………..
10,0 mg
peróxido de benzoíla ………………………………………………………………………………….
50,0 mg
gel aquoso q.s.p. ……………………………………………………………………………………….
1,0 g
O gel contém: água purificada, carbômer, dimeticona, edetato dissódico, glicerina,
hidróxido de sódio, lauril sulfosuccinato dissódico, metilparabeno, poloxâmer, dióxido
de silício.
INFORMAÇÕES AO PACIENTE
Clindoxyl® gel é indicado no tratamento tópico da acne vulgar leve a moderada. A
clindamicina é um antibacteriano semi-sintético, que age inibindo a síntese da proteína
bacteriana e suprimindo o crescimento do Propionibacterium acnes. O peróxido de
benzoíla é um agente bactericida, com atividade comprovada contra o
Propionibacterium acnes.
Clindoxyl® gel deve ser mantido sob refrigeração, entre 2 e 8°C. Não deve ser
congelado. Nestas condições, o produto apresenta validade de 24 meses após a data de
fabricação. Quando mantido em temperatura ambiente (15-30°C), o produto apresenta
validade de 60 dias. Manter o produto bem fechado.
“NÃO USE MEDICAMENTO COM PRAZO DE VALIDADE VENCIDO, PODE
SER PREJUDICIAL PARA SUA SAÚDE”.
Clindoxyl® gel deve ser aplicado nas áreas afetadas, à noite, antes de se deitar. Antes da
aplicação, lavar o local com sabonete neutro e água morna, enxaguar e secar.
Informe ao seu médico sobre a ocorrência de gravidez durante o tratamento ou após o
seu término. Informe ao médico se está amamentando.
Siga a orientação do seu médico, respeitando sempre os horários, a dose e a duração do
tratamento.
Não interromper o tratamento sem o conhecimento do seu médico.



2
Informe ao seu médico o aparecimento de reações desagradáveis, como descamação,
eritema, ressecamento, queimação e prurido.
“TODO MEDICAMENTO DEVE SER MANTIDO FORA DO ALCANCE DAS
CRIANÇAS”.
Clindoxyl® gel é contra-indicado em indivíduos hipersensíveis à clindamicina ou à
lincomicina, ao peróxido de benzoíla, ou a qualquer componente da fórmula. A relação
risco/benefício deve ser avaliada quando o indivíduo apresentar antecedentes de enterite
regional, colite ulcerativa ou colite associada a antibiótico.
Informe ao seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início,
ou durante o tratamento.
Evitar o contato de Clindoxyl® gel com olhos e membranas mucosas.
Todo produto à base de peróxido de benzoíla mancha os cabelos e tecidos coloridos,
portanto evite o contato do produto com os mesmos.
“NÃO USE MEDICAMENTO SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO.
PODE SER PREJUDICIAL PARA SUA SAÚDE”.
INFORMAÇÕES TÉCNICAS
Farmacologia
O fosfato de clindamicina é inativo in vitro, mas é rapidamente hidrolisado in vivo pelas
fosfatases teciduais para clindamicina base ativa. Como outros antibióticos macrolídeos,
a clindamicina inibe a síntese protéica bacteriana, ligando-se à subunidade 50S do
ribossoma. A clindamicina in vitro inibe o Propionibacterium acnes.
Tem sido demonstrada a possibilidade de resistência bacteriana com o uso de
antibióticos macrolídeos, como a clindamicina, especialmente quando usados
isoladamente, e resistência cruzada entre macrolídeos.
Após aplicações tópicas múltiplas de fosfato de clindamicina, em concentrações
equivalentes a 10 mg/ml, em solução de álcool isopropílico e água, níveis muito baixos
de clindamicina estão presentes no soro (0-3 ng/ml), e menos de 0,2% da dose é
recuperado na urina como clindamicina.
A eficácia do peróxido de benzoíla no tratamento da acne vulgar é primeiramente
atribuída a sua atividade antibacteriana, especialmente em relação ao Propionibacterium
acnes, o microorganismo predominante nos folículos sebáceos. As moléculas de
oxigênio dos radicais livres presentes no peróxido de benzoíla são altamente reativas
com compostos orgânicos, podendo reagir com a parede da célula bacteriana,
eliminando o microorganismo. Essa ação, combinada com um leve efeito queratolítico,
é responsável pelo seu benefício no tratamento da acne.
Não têm sido relatados casos de resistência ao peróxido de benzoíla pelo
Propionibacterium acnes. Em pacientes tratados com peróxido de benzoíla tópico, a
melhora do quadro clínico tem coincidido com a redução dos níveis de P. acnes e ácidos
graxos livres.
O peróxido de benzoíla é absorvido pela pele, onde é metabolizado a ácido benzóico e
excretado como benzoato na urina.



3
INDICAÇÕES
Clindoxyl® gel é indicado no tratamento tópico da acne vulgar leve a moderada.
CONTRA-INDICAÇÕES
Clindoxyl® gel é contra-indicado em indivíduos hipersensíveis à clindamicina ou à
lincomicina, ao peróxido de benzoíla, ou a qualquer componente da fórmula. A relação
risco/benefício deve ser avaliada quando o indivíduo apresentar antecedentes de enterite
regional, colite ulcerativa ou colite associada a antibiótico.
PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS
Evite o contato de Clindoxyl® gel com olhos e membranas mucosas. Caso ocorra
contato acidental com superfícies sensíveis (olhos, pele sensibilizada, membranas
mucosas), lavar o local com água fria abundante.
Todo produto à base de peróxido de benzoíla mancha os cabelos e tecidos coloridos,
portanto, evite o contato do produto com os mesmos.
Quando administrada via oral ou parenteral, a clindamicina tem sido associada à colite
grave que pode resultar em morte. O uso de formulações tópicas de clindamicina pode
resultar em absorção sistêmica do antibiótico. Diarréia, diarréia sanguinolenta e colite
(incluindo colite pseudomembranosa) têm sido relatadas com o uso tópico e sistêmico
de clindamicina.
A colite associada a antibiótico pode ser causada por toxinas provenientes de bactérias
do gênero Clostridia (especialmente Clostridium difficile) e é caracterizada por diarréia
persistente e cólica abdominal grave e podem estar associadas com a passagem de
sangue e muco. A endoscopia da mucosa pode identificar a colite pseudomembranosa.
Caso ocorra diarréia significativa, o medicamento deve ser descontinuado. A
endoscopia do intestino grosso deve ser realizada para estabelecer um diagnóstico
definitivo em casos de diarréia grave.
Diarréia, colite e colite pseudomembranosa têm sido observadas várias semanas após o
término da terapia com clindamicina via oral e parenteral.
Não é recomendado o uso simultâneo de Clindoxyl® gel com outros tratamentos tópicos
da acne, como peelings ou agentes abrasivos, devido ao possível efeito irritante
cumulativo. Em caso de irritação grave, descontinuar o uso e instituir terapia
apropriada.
Não usar sobre feridas ou queimaduras.

Uso na gravidez:
Não foram realizados estudos de reprodução animal com peróxido de benzoíla. Estudos
reprodutivos em ratos e camundongos usando clindamicina via subcutânea e oral, em
doses entre 100 e 600 mg/kg/dia não evidenciaram diminuição da fertilidade ou dano ao
feto. Não foram realizados estudos de reprodução animal com Clindoxyl® gel. Não se
sabe se o uso de Clindoxyl® gel pode causar dano ao feto quando administrado a
mulheres grávidas ou pode afetar a capacidade reprodutiva. Clindoxyl® gel não deve ser
administrado a mulheres grávidas, a menos que os benefícios a mulher sejam superiores
aos possíveis riscos ao feto.
Uso na amamentação:

4
Não se sabe se a clindamicina e o peróxido de benzoíla são excretados no leite após o
uso de Clindoxyl® gel. Entretanto, a clindamicina administrada por via oral ou
parenteral foi detectada no leite humano.
Devido ao potencial de reações adversas graves em lactentes, avaliar a descontinuação
da amamentação ou do tratamento, levando em conta os benefícios potenciais a mulher
e os riscos potenciais a criança.
Uso pediátrico:
A segurança e eficácia do uso tópico de Clindoxyl® gel em crianças com idade inferior
a 12 anos não foram estabelecidas.
INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS
Estudos demonstraram que a clindamicina apresenta propriedades de bloqueio
neuromuscular que podem intensificar a ação de outros fármacos com atividade
semelhante. Portanto, este produto deve ser usado com cautela em pacientes em terapia
com tais agentes.
Não é recomendado o uso simultâneo de Clindoxyl® gel com outros tratamentos tópicos
da acne, como peelings ou agentes abrasivos, devido ao possível efeito irritante
cumulativo.
REAÇÕES ADVERSAS
Em estudos clínicos controlados com 172 pacientes, as reações adversas apresentadas
relacionadas à administração de Clindoxyl® gel foram, principalmente, locais como:
descamação (16,3%), eritema (7,6%), ressecamento (7,0%), queimação (2,3%) e prurido
(1,7%).
Parestesia leve e piora da acne foram relatadas em um paciente cada. A clindamicina
administrada por via oral ou parenteral tem sido associada à colite severa, que pode
levar à morte. Casos de diarréia, diarréia sanguinolenta e colite (incluindo, raramente,
colite pseudomembranosa) não têm sido freqüentemente relatadas como reações
adversas em pacientes tratados com clindamicina tópica. Dor abdominal, distúrbios
gastrintestinais e foliculite gram-negativa também foram relatados em associação ao uso
tópico de clindamicina.
POSOLOGIA
Lavar as áreas afetadas com sabonete suave e água morna, enxaguar bem e secar.
Aplicar uma camada fina de Clindoxyl® gel sobre toda a área afetada, não apenas sobre
as lesões. Espalhar o produto com cuidado para que não entre em contato com olhos,
narinas ou boca.
Aplicar o produto à noite, antes de se deitar, ou conforme orientação médica.
O uso contínuo do produto é normalmente necessário para manter uma resposta clínica
satisfatória. O produto deve ser usado durante o período determinado pelo médico,
mesmo que ocorra melhora dos sintomas da acne depois de alguns dias do início do
tratamento.
SUPERDOSAGEM
Sintomas
O fosfato de clindamicina aplicado topicamente pode ser absorvido em quantidades
suficientes para produzir efeitos sistêmicos. Caso o produto seja aplicado



5
excessivamente, podem ocorrer vermelhidão e descamação da pele. Não há relatos de
superdosagem de Clindoxyl® gel por ingestão.
Tratamento
Se ingerido oralmente, não há antídoto específico disponível, devendo ser realizada
lavagem gástrica simples. O tratamento deve ser sintomático.
Lote, data de fabricação e prazo de validade: vide cartucho.
Reg. MS 1.0675.0069
Farm. Resp.: Waldir A. K. Bonetti
CRF-SP 12381

Laboratórios Stiefel Ltda
R. Prof. João C. Salem, 1081/1301
Guarulhos ­ SP – CNPJ 63.064.653/0001-54
Indústria Brasileira
Serviço de Atendimento ao Consumidor
0800 7043189
sac@stiefel.com.br
www.stiefel.com.br


Mais Bulas de Medicamentos


Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>